Pó de talco relacionado com cancro do ovário

Mulher e pó de talco são associações de há muito, mas atenção. Um novo estudo britânico traz a público a notícia de que os ingredientes comummente usados na produção do pó de talco poderão estar a provocar o aparecimento e incidência de cancro do ovário em milhares de mulheres.

Ainda em 2017 e depois de a Johnson & Johnson ter sido condenada a pagar uma multa quase milionária devido a um caso de cancro nos ovários causado pelo uso continuado de pó de talco, a imprensa internacional explorou esta ligação. O novo alerta prende-se agora com o novo estudo: “Acreditamos que a maioria das mulheres não está a par das consequências potencialmente fatais que advém do uso contínuo do pó de talco, e que muitas já estão doentes devido a esse uso prolongado”, pode ler-se.

Em declarações à publicação Mail Online, o advogado britânico Phillip Gower, especialista na área e em doenças industriais e infeciosas, faz questão de lembrar que o problema não é de agora e alerta que tem tendência em aumentar: “Muitas das mulheres afetadas já morreram e as suas famílias só descobriram posteriormente os potenciais riscos daquela substância”.

“É um dos maiores escândalos na área da saúde dos últimos tempos”, resumiu. Bastará recordar a multa pesadíssima que a empresa Johnson & Johnson foi condenada a pagar no ano passado. Em concreto, um júri do condado de Middlesex, em Nova Jérsia, condenou a empresa a pagar uma indeminização de 30 milhões de dólares a um homem, Stephen Lanzo, a quem foi diagnosticado cancro depois de muitos anos a usar o talco da marca. A mulher de Lanzo recebeu 7 milhões, como noticiava à data a cadeia de televisão CNN. Pelo que se conseguiu apurar, o homem usou durante décadas os produtos “Shower to Shower” e “Baby Powder” e a inalação do pó ter-lhe-á causado o mesotelioma, um cancro considerado agressivo e que afeta a pleura (o revestimento dos pulmões). Em causa está o facto dos depósitos de talco estarem muitas vezes localizados perto de depósitos de minerais nocivos, como o amianto – factos que a empresa refuta. E não foi caso único, já que nos Estados Unidos, assiste-se a uma verdadeira corrida aos tribunais – muitas das vítimas já incorreram em processos judiciais no valor de milhões de dólares contra várias marcas fabricantes de pó de talco, após contraírem cancro nos ovários ou mesotelioma

Além de ser um dos produtos mais usados, o pó de talco é também e dos que mais se adapta às diferentes fases da vida. “Até há umas décadas, tratava-se de um produto extremamente popular entre as mulheres, e era também usado sobretudo nas crianças, que agora estão a pagar o preço por esta utilização indevida”, prosseguiu Gower.

Investigadores da Universidade de Harvard tinham apurado, já em 2008, que as mulheres que usam pó de talco diariamente apresentam 40% mais probabilidade de desenvolverem cancro do ovário.