Ponto a ponto se faz uma Tabela Periódica em croché

A ideia nasceu na Universidade do Minho e para comemorar o Ano Internacional da Tabela Periódica (2019-AITP) cem pessoas, de 14 nacionalidades, com idades entre os 6 e os 93 anos, agarraram nas agulhas e nas linhas e construíram uma peça com mais de 16 metros quadrados em croché. É apresentada a 1 de março em Braga.

O desafio do croché, coordenado pela bióloga Alexandra Nobre (STOL – Science Throught Our Lives), habituada a divulgar ciência com recurso à arte e às manualidades, rapidamente se tornou num projeto colaborativo WIP (work in progress) e sem fronteiras. O objetivo foi fazer algo diferente, que tivesse impacto e ganhasse a atenção das pessoas para o assunto da Tabela Periódica em croché (TPc).

Tudo começou numa reunião de docentes da Escola de Ciências da Universidade do Minho e de professores de escolas secundárias da região que se encontraram para pensar num programa comemorativo dos 150 anos da Tabela Periódica dos Elementos (AITP2019).

A chamada foi feita em junho de 2018 junto de amigos, contactos nas universidades, cientistas e escolas com recurso às redes sociais, que foram determinantes na disseminação do projeto pelo mundo.

Para participar bastava seguir orientações simples: escolher um elemento químico, obedecer à cor correspondente, crochetar um retângulo em formato A4 e em ponto à escolha, fazer um rebordo em branco, aplicar as letras e algarismos correspondentes ao símbolo químico e ao número atómico (a preto), usar técnica livre.

Os retângulos de croché chegaram pelo correio, um pouco de toda a parte – Austrália, Bélgica, Brasil, Espanha, Ilhas Guersey, França, Estados Unidos da América, México, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Suécia, Tunísia e Turquia – e em janeiro foi tempo de unir as peças e transformar o puzzle na obra final.

Graças ao apoio do Colégio D. Pedro V, que cedeu uma sala ampla para a montagem da tabela de croché, cerca de 5 voluntárias por sessão conseguiram completar a árdua tarefa de montagem em três dias, à média de 20 horas de trabalho por pessoa. A motivação chegou ao ateliê através dos comentários dos milhares de seguidores que acompanharam o progresso da peça pelo Facebook, Twitter e Instagram.

A Tabela Periódica de croché (TPc) foi feita manualmente por uma centena de pessoas com idades compreendidas entre os 6 e os 93 anos, de 14 nacionalidades dos cinco continentes, e envolveu um total de mil horas de trabalho. A peça final tem 16,5 metros quadrados, pesa 13 quilos e é composta por 250 retângulos em croché no formato A4 (118 correspondem a elementos químicos, dois a elementos de inserção de lantanídeos e actinídeos e 130 retângulos brancos de preenchimento).

Estará exposta no Braga Parque a partir do dia 1 de março acompanhada do nome de todos(as) os(as) envolvidos(as) na sua execução, mas a ideia é que, depois, circule em itinerância por museus, centros de ciência viva ou instituições de ensino.

Uma tabela inspiradora

A escolha do Califórnio, um metal do grupo dos actinídeos, foi natural para uma família norte americana residente na Califórnia que resolveu colaborar no projeto. Não foram os únicos a entusiasmarem-se com o desafio. Everett Elkins, um menino americano de 8 anos, escolheu o Tório (TH 90) porque lhe faz lembrar o super-herói preferido da avó (Thor). Fez sozinho o seu retângulo em croché e está empolgado com a ideia de um dia visitar Portugal. A mãe, Virgínia, explica que ter participado neste projeto foi uma oportunidade única para “mostrar a um futuro jovem cientista como é trabalhar em colaboração num projeto internacional”.

A experiência foi única para todos, mas para Bruno Freitas (12 anos), Hafsa Vorajee (6), Adam (9), Nelson (7) e Everett (8), as cinco crianças que participaram no projeto, a Tabela Periódica e o posicionamento dos elementos que escolheram (Fósforo, Cloro, Selénio, Ouro e Tório) ficarão na memória.