“Primeira Vez” quer democratizar o acesso à cultura

316 pessoas foram pela “Primeira Vez” ao teatro desde outubro. Com o objetivo primordial de dar a oportunidade a pessoas que nunca foram ao teatro – e neste caso ao Teatro Nacional D. Maria II – de conhecerem o teatro "por dentro e por fora", o Primeira Vez propõe-se a democratizar o acesso à cultura.

O Primeira Vez é um projeto de mediação de públicos idealizado para levar as pessoas a ter uma experiência cultural pela primeira vez. O teatro é a primeira área artística que o Primeira Vez está a trabalhar, de forma a combater a ideia que o teatro, enquanto espaço físico e enquanto manifestação artística, “é sempre para as mesmas pessoas”, seja porque os teatros não conseguem chegar a novos públicos, seja porque as pessoas se deparam com barreiras psicológicas, físicas e culturais, que travam a sua ida ao teatro, como o preço do bilhete, a complexidade das peças, a inadequação pessoal ao espaço ou pura e simplesmente pensar que o teatro está fechado! Para destruir estas barreiras, o Primeira Vez propõe-se a criar uma relação próxima e única com cada pessoa que participa no projeto, não sendo por isso o Primeira Vez um projeto de massas.

O Primeira Vez arrancou em outubro de 2018 em exclusivo, neste primeiro ano de funcionamento do projeto, no Teatro Nacional D. Maria II (TNDM II) e com o financiamento do programa BIP/ZIP da Câmara Municipal de Lisboa, numa co-produção com a agência Wake Up! O projeto conta com o Alto Patrocínio de sua Excelência O Presidente da República.

O programa de atividades do Primeira Vez inclui a possibilidade de assistir a três espetáculos por um preço simbólico de seis euros cada, conversar com a equipa artística logo a seguir ao espetáculo e realizar visitas guiadas ao D. Maria II.

Desde outubro de 2018, o Primeira Vez trouxe ao teatro um total de 316 pessoas, para assistir aos espetáculos Teatro, de Pascal Rambert (41 pessoas), Sopro, de Tiago Rodrigues (116 pessoas, das quais 11 também já tinham assistido ao primeiro espetáculo), Montanha-Russa, de Inês Barahona e Miguel Fragata (33 pessoas) e Frei Luís de Sousa, com encenação de Miguel Loureiro (126 pessoas).

Nos dias 26 de maio e 5 de junho, o Primeira Vez vai levar dois novos grupos de pessoas pela primeira vez ao Teatro D. Maria II, para assistirem ao espetáculo A matança ritual de Gorge Mastromas, com encenação de Tiago Guedes, que estreia a 25 de maio com António Fonseca, Beatriz Maia, Bruno Nogueira, Inês Rosado, José Neves, Luís Araújo e Rita Cabaço.

Até ao final do ano, estima-se que o Primeira Vez leve 400 pessoas ao TNDM II.

Já nas duas visitas guiadas que foram realizadas no âmbito do projeto participaram até à data 37 pessoas. As visitas guiadas são uma ocasião perfeita para espreitar os bastidores do teatro e toda a atividade intensa que existe por detrás de cada espetáculo, contactando com histórias de todos os que por ali têm passado ao longo dos anos.

O objetivo é que as pessoas não assistam apenas a um espetáculo, mas a três espetáculos ao longo da sua experiência no projeto Primeira Vez. No entanto não é ainda possível divulgar dados concretos sobre o regresso das pessoas ao teatro, uma vez que o projeto se encontra a meio do seu percurso neste primeiro ano de vida.

O Primeira Vez inclui ainda uma componente jornalística muito importante e que pode ser consultada no site primeiravez.pt e nas redes sociais Facebook e Instagram. Nestas plataformas damos a conhecer as histórias de vida de quem participa no projeto, assim como revelamos mitos e mistérios à volta do teatro.