Que livros escolher para crianças entre os 2 e os 6 anos?

Dos 2 aos 6 anos é recomendável introduzir a leitura, seja pelos próprios ou através da leitura em voz alta, por parte do adulto.

Algumas notas psicopedagógicas podem ajudar-nos a introduzir a leitura entre os 2 e os 6 anos e, consequentemente, a definir as nossas escolhas de livros.

  1. introduzir-se os hábitos de leitura, como, por exemplo, ler antes de dormir;
  2. valorizar a leitura em voz alta, por parte do adulto.
  3. exercitar a observação atenta das imagens / ilustrações.
  4. introduzir os primeiros livros de informação, porque as crianças nesta idade começam a fazer perguntas sobre o mundo que as rodeia.
  5. contar as histórias mais do que uma vez, porque as crianças vão pedir e porque vão querer memorizar as suas histórias preferidas.
  6. contar a história em voz alta e mostrar as ilustrações, ao mesmo tempo.
  7. privilegiar, nesta idade, os livros-álbum.
  8. deixar que eles próprios e por sua iniciativa apreciam as ilustrações, porque estas precedem o entendimento verbal e podem provocar reações emotivas.

Neste contexto, entre os 2 e os 6 anos de idade, os pais/professores/educadores devem escolher livros com as seguintes características:

1. Livros-álbum com histórias vivas e interessantes, de linguagem simples e não muito elaborada, de temas que sejam atrativos para o adulto e a criança e que sejam ricas e inventivas.

2. Livros-álbum com ilustrações originais e não estereotipadas, que ampliem a sensibilidade estética das crianças para além das representações “fotográficas”; ilustrações cuidadas, tecnicamente conseguidas, expressivas, ricas de significados, coerentes na criação sequencial de ambientes e personagens, que estendam o significado do texto.

3. Livros-álbum diversos: canções ilustradas, versões de contos de fadas e contos tradicionais portugueses e não só; livros de conceitos e histórias realistas e fantásticas, humorísticas e comovedoras.

4. Rimas infantis, poemas atrativos pela sonoridade, jogos poéticos com jogos de palavras e ritmo.

5. Livros de imagens sem palavras que a partir de posturas engenhosas convidem as crianças a contar / inventar as suas próprias histórias.

6. Livros de informação científica e humanística, de linguagem simples e com textos breves; informação atualizada, bem organizada, com ilustrações claras e interessantes, precisas nas linhas e de desenho limpo e atrativo.

7. Livros-brinquedo (livros-objeto, Pop-ups) que ofereçam atrativas e surpreendentes possibilidades de interação, acompanhados de uma história ou de informação significativa.

8. Histórias de capítulos curtos para serem lidas em voz alta.