Quem vai ao Porto e não prova…

Tripas à moda do Porto.

Tripas à moda do Porto e tripeiros – é sobre pratos e tradições que falamos! Pois bem, quando se oferece toda a carne da cidade aos marinheiros, o que fica em terra? As sobras, que é como quem diz, as tripas.

Corria o ano de 1415, altura em que se construíam as naus que iriam partir para Ceuta, à conquista de terras africanas. O Infante D. Henrique veio ao Porto, nesse mesmo ano, controlar o andamento dos trabalhos no estaleiro e pediu um grande esforço, por parte dos marinheiros. Em resposta, ficou decidido oferecer toda a carne da cidade aos marinheiros. E assim nasciam as famosas tripas à moda do Porto – o prato que dá o nome aos habitantes da urbe – Tripeiros. E desde há muito que, mais que uma receita, este prato representa uma atitude bem presente no espírito das gentes do Norte: dádiva, sacrifício, disponibilidade e hospitalidade. Pelo mundo fora existem várias receitas que utilizam as tripas, mas só no Porto é que a alcunha dos nascidos da cidade coincide com o prato típico.

A receita evoluiu ao longo dos tempos, pois o feijão só chegou à Europa no século XVII. Até aí, as tripas eram servidas estufadas em fatias de pão. Folhos, favos e touca, mão de vitela, chispe de porco, bem como chouriço, presunto, salpicão e restante charcutaria dão vida e sabor a este prato!