Rinoceronte-branco do norte macho já não existe

Era o último exemplar macho de rinoceronte-branco do norte do planeta - Sudan morreu aos 45 anos no Quénia na sequência de uma infeção na pata direita traseira.

Uma infeção levou à morte de Sudan, o último exemplar macho de rinoceronte-branco do norte do planeta. Devido à idade avançada, a doença progrediu de maneira irreversível e os veterinários optaram pela eutanásia. Agora, restam apenas fêmeas de sua espécie — indicando que, em teoria, esses animais entraram em extinção.

Nos últimos anos de vida, Sudan tinha a companhia de três guarda-costas, 24 horas por dia, sete dias por semana, na reserva ambiental Ol Pejeta Conservancy, no Quénia. Eram muitos os caçadores que saíam em busca do chifre de rinocerontes, mais valioso que ouro, por ter fama de curar doenças como o cancro.

Mas a esperança é a última a morrer: os cientistas planeiam utilizar as informações genéticas de Sudan para manipular embriões da espécie e realizar uma inseminação artificial nas dois últimos exemplares de rinocerentes-brancos do norte.

A técnica nunca foi utilizada e não há certeza da sua eficácia, mas não custa acreditar!