Rosa vivo: a cor mais antiga do mundo

Investigação de doutoramento em parceria com a “Geoscience Australia” e investigadores dos EUA e Japão, publicada na revista científica PNAS, garante que a cor mais antiga do mundo é o rosa vivo.

Nur Gueneli, da Universidade Nacional Australiana (ANU), descobriu  o rosa vivo numa rocha no deserto do Saara, na bacia Taoudeni na Mauritânia, África Ocidental, com cerca de 1,1 mil milhões de anos, a cor mas antiga do mundo

O investigador esmagou as pedras recolhidas do depósito de xistos negros marinhos até ficarem em pó, de onde se extraíram e analisaram moléculas de organismos antigos.

“A análise dos pigmentos antigos confirmou – referiu o investigador – que minúsculas cianobactérias dominavam a base da cadeia alimentar nos oceanos há mil milhões de anos, o que ajuda a explicar porque não existiam animais na altura.

Os fósseis têm coloração entre vermelho vivo a roxo intenso, na forma concentrada, e cor-de-rosa vivo, quando diluídos.

“Os pigmentos cor-de-rosa vivo são fósseis moleculares de clorofila que foram produzidos por antigos organismos fotossintéticos que habitavam um oceano há muito desaparecido”. Estes fósseis têm 1,1 mil milhões de anos, um recorde geológico, já que são 500 mil anos mais velhos que os pigmentos conhecidos.

Já sabe: cor-de-rosa vivo é a cor mais antiga do mundo!