Rui Xará quer o público a rir

É o terceiro solo de Rui Xará e pega nos assuntos que ao longo destes 20 anos de carreira têm feito parte do imaginário do comediante do Porto, agora vistos sob uma perspetiva mais madura, mas marcada pelos tempos controversos que vivemos.

Rui Xará é um dos pioneiros da Stand Up Comedy em Portugal, foi o inventor e cicerone das famosas noites do Púcaros Bar no Porto, onde tantos comediantes nasceram, sendo um dos mais prolíferos Comediantes do país com mais de 2700 atuações em mais de 20 anos de carreira. Estético, corrosivo, assertivo. Podiam ser termos para definir um bom whiskey. São também termos para definir Rui Xará.

CALLBACK é um espetáculo de Stand Up Comedy com uma vincada preocupação social: fazer rir o público.
Não percam este que é um dos mais aguardados espetáculos de comédia dos últimos anos!

Rui Xará esteve presente já em quase todos os cartazes de renome na comédia em Portugal e tem variadas participações tanto em televisão, como em rádio. Em Janeiro de 2016 esgotou o Teatro Sá da Bandeira naquele que foi o primeiro grande ROAST público em Portugal, tendo para isso conseguido juntar 17 comediantes em palco para o “assarem” nos seus 17 anos de carreira. Desde essa altura tem sido o organizador e o host de vários Roasts sempre com casa cheia ou esgotada, como foram os casos do Roast do Álvaro Costa, do Roast do Fernando Rocha e já do Miguel Sete Estacas. Nas palavras de um outro afamado comediante, Rui Xará é “o mais conhecido dos (comediantes) não famosos” e apesar de adorar a Stand Up Comedy, tem já vários trabalhos feitos e reconhecidos noutras áreas do humor, sendo frequentemente convidado como prefaciador e apresentador de livros humorísticos. Já foi proprietário e/ou responsável por vários espaços que funcionaram como Comedy Clubs, sendo atualmente o mentor e programador das melhores e mais míticas noites de Stand Up em clube de comédia no CRU Espaço Cultural em Famalicão.

Em parceria com o maestro Cristiano Silva e a ONJ tem o projeto Stand Up Symphony (estreado em julho de 2018) que junta uma orquestra sinfônica a 3 comediantes e com Francisco Menezes e Fernando Rocha, tem percorrido várias salas icónicas do país.