Sara Tavares nomeada para um Grammy Latino

Hoje, 15 de novembro, a cantora e compositora Sara Tavares, nomeada para um Grammy Latino, saberá se vencerá o galardão.

“Aquilo que me fez sentir, já senti, que foi um prazer, uma celebração só pelo facto de ser nomeado um disco lusófono feito com todo o amor e por uma equipa verdadeiramente lusófona”, afirmou Sara Tavares, cujo álbum “Fitxadu” (2017), o quinto de originais, está nomeado na categoria “Melhor Álbum de Raiz”.

Nesta mesma categoria estão nomeados o mais recente álbum homónimo de Mariza, e ainda “Daquele Jeito!”, de Anastácia, “+AR”, de Almir Sater & Renato Teixeira, e o álbum homónimo de Borghetti Yamandu.

O ano passado o vencedor nesta categoria foi o CD “Ao Vivo – Melodias Do Sertão”, de Bruna Viola.

Sara Tavares, que está a preparar com Capicua a sua próxima atuação, no âmbito da Feira Internacional do Livro de Guadalajara, no México, que abre no próximo dia 24, disse que quando forem anunciados os vencedores já está a dormir, pois deita-se cedo e vai aguardar pela manhã seguinte para conhecer os distinguidos, mas não tem “nenhuma expectativa”.

Sara Tavares, nascida há 40 anos em Lisboa, afirmou que “tem havido uma receção maravilhosa ao álbum, que até inspirou muita gente a fazer uma nova sonoridade, com base numa música de raiz, e afirmar-se enquanto cultura comum, África e Lisboa, e não com fronteiras tão delineadas”.

Esta nomeação contribui para “dizer que estamos cá, de saúde, que somos contemporâneos”, disse a intérprete, que tem uma “agenda preenchida”, com espetáculos para breve na Noruega e Reino Unido, entre outros países, depois de Guadalajara.

A cerimónia de entrega dos Grammy Latinos, atribuídos pela Academia Latina de Artes e Ciências de Gravação, está marcada para hoje, quinta-feira, em Las Vegas, nos Estados Unidos.