Estar solteiro faz bem à saúde

De acordo com a ciência, são vários os benefícios de estar solteiro, tanto para a saúde física como mental.

Se gosta de ser socialmente ativo, de estar em boa forma física e de sentir bem consigo mesmo, então, diz-nos a ciência que a melhor forma de o alcançar é manter-se solteiro.

Seja por opção ou não, estar solteiro pode representar uma série de benefícios para a saúde física e mental revela Bella DePaulo, psicóloga da Universidade de Santa Bárbara, na Califórnia. Apologista de se ser solteiro, a psicóloga defende os benefícios deste estilo de vida e lembra que a própria Psicologia deixa muitas vezes passar ao lado estas vantagens.

Em termos práticos, “ser solteiro aumenta as interações sociais de ambos, homens e mulheres”. De acordo com vários estudos nutrir amizades é essencial para se ser feliz e para envelhecer com qualidade. É o caso do estudo publicado no British Medical Journal em 2008 que revelou que as pessoas que mantêm contacto regular com várias pessoas são significativamente mais felizes que aquelas que não o fazem. Quanto mais amigos uma pessoa tem, mas feliz tende a ser.

Mas as boas notícias não se ficam por aqui. Provavelmente já ouviu dizer que a vida de casado engorda. Ora, a ciência subscreve. Ao que parece, os solteiros tendem mesmo a estar em melhor forma física. Resultados de um inquérito demonstram que os solteiros que nunca casaram praticavam exercício físico mais vezes por semana do que os casados ou divorciados.

Além disso, “estar sozinho não tem de ser o mesmo que estar em solidão”, refere Amy Morin, psicoterapeuta. “Pode ser essencial para nos conhecermos melhor a nós próprios”. Morin acredita que passar tempo sozinho pode ajudar as pessoas a serem mais produtivas, mas também mais livres, mais criativas e com um nível de intimidade mais elevado.

Apesar de tudo, convém também não esquecer que as relações românticas têm benefícios, mas estar solteiro também, contrariando a ideia de que as pessoas solteiras são “miseráveis e sós”.