Teatro Aberto vai ajudar os Médicos do Mundo

A sessão solidária da peça “Doença da Juventude”, no sábado, no Teatro Aberto, pretende ajudar a angariar fundos para a aquisição de uma Unidade Móvel de Saúde, indispensável ao apoio que a Médicos do Mundo presta a 2500 pessoas no Porto. A iniciativa insere-se no apelo da organização para atingir os 50 mil euros necessários à substituição do veículo actual, em fim de linha.

O Teatro Aberto associou-se à Fair Saturday – uma iniciativa de mobilização cultural com impacto social, que tem lugar no último sábado de novembro – e escolheu a causa da Médicos do Mundo que está a angariar fundos para ajudar 2500 pessoas na cidade do Porto.

Filipa Areosa, Madalena Almeida e Carolina Carvalho Santos são alguns dos atores que sobem a palco, às 19h, deste sábado, para uma sessão solidária da peça “Doença da Juventude”, em cena no Teatro Aberto. Com um valor único de 10 euros por cada entrada, a receita da bilheteira do espectáculo reverte integralmente para a Médicos do Mundo e para a aquisição de uma Unidade Móvel de Saúde para o projecto Porto Escondido.

O Porto Escondido responde a várias necessidades de saúde e sociais das pessoas que se encontram na rua. Para além da promoção da saúde, da detecção precoce e prevenção do VIH/SIDA e infecções sexualmente transmissíveis, são prestados cuidados de saúde primários, consultas psicossociais e o encaminhamento para estruturas de suporte. Todos estes serviços são disponibilizados numa Unidade Móvel de Saúde que se encontra em fim de linha, devido ao desgaste de 19 anos de actividade.

A Médicos do Mundo vai canalizar o valor angariado pelo movimento Fair Saturday através do espectáculo do Teatro Aberto e inseri-lo na recolha de fundos que lançou com vista a alcançar os 50 mil euros necessários à compra da unidade. De acordo com Célia Caeiro, directora de produção do Teatro Aberto esta escolha vem “reconhecer o trabalho da Médicos do Mundo na área da Medicina e da Saúde e o seu esforço e empenho na luta contra todas as doenças, quisemos com este gesto levar mais longe os temas a que este espectáculo nos convida a reflectir”.

No ano passado, o projecto Porto Escondido da Médicos do Mundo conseguiu chegar a mais de 2300 pessoas, através da prestação de mais de mil cuidados directos de saúde e de quase nove mil apoios psicossociais, assim como a troca e distribuição de material de consumo e a realização de acções de informação e educação.

Além da aquisição de entradas para a peça na bilheteira do Teatro Aberto, pode contribuir para esta causa de outras formas, através da página da Médicos do Mundo.