Tirar fotografias sem máquina fotográfica?

"Workshop: Fotogramas em Cianotipia". Destinado a quem se interessa por novas experiências e novos materiais, a técnica fotográfica de Cianotipia permite criar composições de tons azuis, através da exposição do Sol. Esqueça a máquina fotográfica!

Tirar fotografias sem máquina fotográfica? O workshop dedicado à Cianotipia, promovido pelo Edge Arts, está de regresso no mês de setembro. Tem data marcada para o dia 8 e conta com a orientação do fotógrafo Rui Dias Monteiro. Com apenas uma sessão, o curso levará os participantes a aprender a técnica da Cianotipia, explorando o processo através da realização de fotogramas: imagens que não precisam de máquina fotográfica.

No workshop, será utilizado suportes sensíveis à luz, vários papéis e tecidos, onde ficará gravada a nossa imagem, a partir de um negativo fotográfico ou de um desenho sobre acetato.

Caracterizado por ser um processo de impressão fotográfico e monocromático, a Cianotipia é à base de sais de ferro e foi inventada em 1842 por Sir John Herschel. Considerado como alternativo pela história da fotografia, permite obter impressões fotográficas numa escala de gradações de azul.

A Cianotipia, como outros processos fotográficos analógicos, apenas requer: os químicos certos, papel, uma câmara escura e luz.

Este workshop é destinado a todos os jovens e adultos com interesse em novas experiências e novos materiais.

Rui Dias Monteiro nasceu em 1987, em Castelo Branco, Portugal. Vive e trabalha em Lisboa.

Realiza entre 2015 e 2016 a Pós-Graduação em Discursos da Fotografia Contemporânea na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Concluiu em 2008 o Curso Avançado de Fotografia e Projecto Individual no Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual.

Desde 2004 desenvolve a sua prática artística como fotógrafo e poeta, tendo participado em diversas publicações e exposições. Em 2006/2007 foi bolseiro BES/Ar.Co. É artista da Galeria Alecrim 50 em Lisboa desde 2013. Em 2015 esteve na Ilha de São Vicente, Cabo Verde, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian-. Em 2016 recebe o prémio BF16 – Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira. E, novamente com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, participou em 2017 no programa de residência artística da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) em São Paulo, Brasil.

Conteúdos:

– Processo de cianotipia através da realização de fotogramas

– Os materiais, as técnicas, os suportes

Informação geral:

Datas: 8 de setembro

Duração: 1 sessão

Faixa etária: Jovens e adultos

Nº mínimo de participantes: 6

Nº máximo de participantes: 12

Local: Espaço Amoreiras – Centro Empresarial (LEAP e Esplanada Origem)

Horário: Das 15h00 às 17h30

Formador: Rui Dias Monteiro

Inscrições:

Por telefone: 213 600 071 (das 9h00 às 17h00)
Por email: info@edge-arts.org

Descontos:

– 20% para alunos que se inscrevam pela 2ª vez
– 10% na 2ª inscrição
– 10% na inscrição dos trabalhadores das empresas do Espaço Amoreiras (Descontos não acumuláveis)

Preços:

Preço p/pessoa: 25 €(materiais incluídos)

Nota: As inscrições só são consideradas válidas após a confirmação escrita pelo Edge Arts.