Viajar é bom para todos, mas sobretudo para as crianças

Um estudo recente mostra que as viagens em família têm um impacto profundo e duradouro sobre o bem-estar e a felicidade das crianças.

De acordo com o estudo, publicado no Journal of Commercial Research, as prendas que se relacionam com experiências, como as viagens ou passeios, causam um impacto muito mais profundo nas crianças do que os presentes materiais.

E as explicações apontadas são várias: passar tempo em lugares novos e/ou desconhecidos contribui para o desenvolvimento cerebral das crianças, além de contribuir para o desenvolvimento de partes do cérebro que estão associadas à gestão do stress e ao aperfeiçoamento das competências de aprendizagem. As viagens efetuadas tornam-se parte da identidade das pessoas e contribuem para formar a sua mundividência.

Assim, por exemplo, as viagens de estudo parecem favorecer os alunos nas áreas da leitura, matemática e conhecimentos gerais se comparados com os alunos que não participaram nas mesmas. O estudo evidencia também que o destino da viagem não é relevante para os resultados obtidos.

Um outro estudo mostra que as viagens trazem benefícios não apenas em curto prazo, mas também em longo prazo, porque contribuem para a construção de lembranças duradouras e positivas, sendo que a maioria das pessoas indica as lembranças das férias passadas em família, na infância, como as preferidas.

Mas não pense que viajar faz bem só às crianças. Também são ótimas para os adultos/pais, tornando a vida mais feliz e gozosa do que os bens materiais.

Numa palavra: viaje! Isso é mais importante do que os brinquedos para as crianças ou de um gagdet para si. Acredite!