Visitas à Casa da Memória no âmbito da Contextile

Setembro abre as portas da nova temporada e convida a comunidade e os artistas a visitarem a Casa da Memória de Guimarães (CDMG) e a conhecerem a programação que as próximas semanas reservam.

Até ao dia 20 de outubro, a Casa da Memória é um dos espaços alvo das intervenções e instalações artísticas desta mesma dupla de artistas, Hermionne Allsopp e Ida Blazicko, resultantes de um projeto colaborativo de pesquisa, interação e residência artística com a comunidade de Trás de Gaia e S. Gualter, entre julho e agosto, tendo como referência os rituais e costumes dos lavadouros públicos. A ação, levada a cabo pela Ideias Emergentes | Contextile 2018, em parceria com a Casa da Memória de Guimarães (CDMG), insere-se no projeto e plataforma europeia Magic Carpets (envolvendo 13 países e 13 parceiros europeus, 2018-2021), cujo objetivo é promover a mobilidade de artistas e curadores emergentes e o trabalho com as comunidades locais.

Estas mostras podem ser vistas, gratuitamente, na CDMG de terça a domingo das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00.

No dia 23, às 11h00, o Domingos em Casa de setembro convida os participantes a construir caixas de memórias, numa oficina com criação e orientação de João Terras. Esta é uma verdadeira oficina de catalogação criativa e autobiográfica designada “Do Vazio de uma Caixa a um Museu Portátil”.

A participação nesta oficina, dirigida a maiores de 5 anos, tem o custo de 2,00 euros e é sujeita a inscrição prévia até ao dia 20 de setembro através do telefone 253424700 ou do e-mail mediacaocultural@aoficina.pt.

Até ao culminar deste mês é ainda possível (re)visitar as exposições temporárias “Pergunta ao Tempo” – resultado de um longo processo de investigação sobre o património cultural, desenvolvido pelas crianças do 4º ano dos 14 agrupamentos de escolas do concelho de Guimarães – e “Momento 2” – exposição de antigos alunos do curso de Artes da Escola Secundária Martins Sarmento, que apresenta um conjunto de obras (desenho, pintura, fotografia e instalação, entre outras) que medeiam entre o tempo de aulas (1988 a 2002) e a atualidade. Ambas as mostras são de entrada livre e podem ser visitadas até 30 de setembro.

Na Casa da Memória está ainda patente a exposição permanente “Território e Comunidade”, com histórias, documentos, factos e objetos que permitem conhecer diferentes aspetos da comunidade vimaranense através de um largo arco temporal: da Pré-História à Fundação da Nacionalidade, das Sociedades Rurais e Festividades à Industrialização do Vale do Ave e à Contemporaneidade.

A CDMG encontra-se aberta de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00. Aos domingos de manhã, a entrada é gratuita.

A programação pode ser consultada aqui .

Leia mais: Bienal de arte têxtil Contextile em Guimarães

.