Vitória SC: adeptos fervorosos pelo clube da sua cidade

Todos aqueles que seguem o futebol português sabem que em termos de massa adepta é muito difícil encontrar noutro clube e noutra cidade aquilo que se encontra em Guimarães: amor e dedicação pelo clube que representa a cidade onde nasceram.

Como é dito num dos cânticos de apoio ao clube, ‘quando eu era pequenino, já tinha a mentalidade, meu pai dizia-me: meu filho, defende o clube da tua cidade’. E assim é com a maioria das pessoas que nascem na cidade de Guimarães, são muito poucos aqueles que nascem lá e apoiam outro clube que não o Vitória.

Em cada jogo que a equipa disputa, eles, os adeptos, estão lá, na bancada a apoiar a sua equipa, seja em casa, seja fora, seja em Portugal ou no estrangeiro, eles marcam sempre presença e apoiam o clube do primeiro ao último minuto, independentemente do resultado que se verifique. Mas a festa torna-se mais bonita quando o palco do jogo é o D. Afonso Henriques e em diversos momentos do jogo os adeptos tornam o estádio num vulcão prestes a entrar em erupção quando veem que a equipa precisa de um empurrão para chegar ao golo ou para aguentar a pressão final do adversário. Vivem o futebol ao extremo, mais do que a maioria dos restantes adeptos de outras equipas e dizem a cada jogador que ingressa na equipa ‘deixa tudo em campo e terás o nosso apoio’. É assim que os ‘conquistadores’ vivem a emoção do jogo, tendo levado até os jogadores a dizer que os adeptos se tinham tornado nos seus ídolos, ou seja, os adeptos acabaram por se tornar ídolos dos seus ídolos que são os jogadores.

Para terminar, fica a segunda parte do cântico que foi começado no primeiro parágrafo: ‘Vitória, foi amor à primeira vista, mas que coisa tão bonita, eu poder-te apoiar’.